quarta-feira, abril 9

CARROS DE BOI OU CARRO DE BOIS?



Nota de revisão que consta no livro (Festas de carros de boi) de  minha autoria:



O ICEIB ‒ Instituto Cultural de Escritores Independentes do Brasil, da qual é integrante o autor deste livro Rogério Corrêa, respeita a licença poética, e em vista do cerne daquilo que a compõe, a Literatura, sempre apoiará o uso de todas as variantes linguísticas nacionais, conforme seja o desejo manifestado pelo escritor de assim as expor em sua produção literária.

Desde o advento da Linguística no Brasil, como disciplina ensinada nas academias e mais recentemente em algumas escolas de ensino fundamental e médio, tornou-se comum procurar esclarecer às pessoas, acerca das enormidade de variantes linguísticas (falas regionais) existentes no Brasil e o respeito que se deve ter por elas, pois o essencial de uma língua é estabelecer comunicação. Uma vez que a comunicação se estabeleceu, os conceitos de “certo” e “errado” devem se sujeitar aos cuidados do bom senso, para evitar preconceitos linguísticos que culminem em preconceitos sociais.

Variantes linguísticas devem ser entendidas como componentes da nossa cultura e respeitadas dentro da fala. Todavia, não se pode admitir que o respeito à fala se sobreponha ao uso da Norma Padrão, especialmente em textos. A padronização da escrita evita muitas confusões de interpretação na leitura e uma “torre de babel” na Língua Portuguesa.

Neste livro trazemos como título um substantivo composto por justaposição carro de boi, escritos por aí de várias maneiras, principalmente com o boi no plural. Além disso, alguns estudiosos até defendem nomenclatura diferente para o termo. Tratar-se-ia de uma locução substantiva ‒ salve a controvérsia! E então vamos a mais uma: o formulário ortográfico de 1943 permitia que se grafasse com ou sem hífen aquela composição, mas o acordo de 1990 aboliu a divergência, fixando a grafia, sem o hífen.

 
Quanto ao substantivo composto carro de boi fazer o plural no segundo elemento, após a preposição, a regra diz: substantivos compostos, quando se trata de dois substantivos ligados por uma preposição clara, apenas o primeiro elemento vai para o plural.

Sobre isso, alguns dicionários definem:

Significado de carro-de-boi
Português
Substantivo
Carro-de-boi [sic] masculino (plural: carros-de-boi[sic])
1.  transporte rudimentar de madeira, com duas rodas, que se move sendo puxado por bois (Nossa Língua Portuguesa sd.).

O “Dicionário Aurélio” traz: “Substantivo masculino. Carro de boi. 1. Carro (1) movimentado ou puxado, em geral, por uma ou mais parelhas de bois, e guiado por carreiro.”

No site “Só Português”, e em qualquer boa Gramática da Língua portuguesa, é possível conferir a regra dos substantivos compostos. Em 2003 a Editora Itatiaia publicou o livro “Ciclo do Carro de Bois no Brasil”. O título usando a variante “carro de bois” deve ter sido licença poética ao autor Bernardino José de Souza.

Rogério Corrêa questionou, pleiteou o uso de qualquer uma das diversas variantes que encontrou, enquanto pesquisava para compor este livro. Mas, no fim das contas, deixou a critério desta revisora aplicar ou não a Norma Padrão. Apliquei-a.
 

Maria das D. D. de Sá de Amorim
26 de junho 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário